Monthly Archives: março 2017

Steve Vai5

Steve Vai | “Passion and Warfare 25th Anniversary Tour” no Brasil.

Depois de mais de 100 shows bem-sucedidos na Europa e na América do Norte, a Free Pass Entretenimento confirma a vinda do lendário guitarrista STEVE VAI ao Brasil com a aclamada turnê “Passion and Warfare 25th Anniversary Tour”. A terceira etapa desta turnê muito especial comemorando mais de 25 anos de uma das maiores gravações instrumentais de guitarra do rock de todos os tempos, incluirá seis apresentações no Brasil: 1 de Junho – Brasília – Clube do Congresso 2 de Junho – Belo Horizonte – Music Hall 3 de Junho – Rio de Janeiro – Imperator 4 de Junho – São Paulo – Tom Brasil 6 de Junho – Porto Alegre – Araújo Viana 7 de Junho – Curitiba – Ópera de Arame A turnê marca a primeira vez que Vai já tocou o álbum Passion and Warfare ao vivo na íntegra, de cima pra baixo, incluindo algumas surpresas muito especiais. “A banda é ótima, e todos estamos tocando melhor do que nunca”, disse Vai. “Esta é uma rara oportunidade de ouvir este álbum em sua totalidade e provavelmente a última vez que alguém terá a chance de ouvi-lo ao vivo novamente. Há uma profunda apreciação em termos a oportunidade de honrar este disco com esta turnê, e estamos sorrindo a todo momento “. A turnê recebeu aclamação da crítica. O portal SF Sonic chamou o show de Vai de “um desempenho magistral”; A Fairfax County Times resumiu o concerto como “uma noite que ninguém esquecerá tão cedo”; E a Mass Live observou “Vai curvou notas, mentes.” Em uma resenha de um show, a AXS (Cleveland) moldou aquela noite de música assim: “O guitar hero estabeleceu desde o inicio da apresentação que aquilo não seria apenas uma estimulante paixão musical, mas um colorido , uma experiência visual, também… A retrospectiva de Vai nos lembrou porque os guitar heroes são importantes…sua música é atemporal. ” A turnê também contará com um número limitado de pacotes Premium VIP Experience Passion e Warfare EVO, disponíveis para compra somente pelo site do guitarrista: www.vai.com. Através da Experiência EVO, os fãs terão uma rara oportunidade de fazer parte de um encontro exclusivo com Steve, participar de uma sessão privada de perguntas e respostas para os participantes do EVO, assistir à passagem de som, tirar uma foto pessoal com Steve, participar de uma sessão de autógrafos, e muito mais. Antes de aterrissar em terras tupiniquins, Vai irá se juntar a Zakk Wylde, Yngwie Malmsteen, Nuno Bettencourt e Tosin Abasi para a turnê do projeto Generation Axe na Ásia em abril de 2017. Fonte: http://www.freepass.art.br

depeche-mode2

Depeche Mode | A espera acaba em março de 2018!

O Depeche Mode, que não vem ao Brasil há 23 anos, marcou seu retorno à América do Sul. A banda inglesa, que já havia ensaiado a volta com shows no Lolla de 2014, mas acabou desistindo, chega com a turnê Global Spirit, que promove “Spirit”, seu novo álbum, lançado na sexta passada. Já se sabe que as apresentações serão solo, sem possibilidade de inclusão no line up dos Lollas sul-americanos de 2018. Tudo indica que o Depeche Mode preferiu esperar ter “Spirit” pronto para acertar a vinda, em vez de fazer shows esporádicos no Lolla. Na semana passada, o empresário argentino Daniel Grinbank anunciou que estava comprando a turnê para a América do Sul, e que a banda de forma alguma entraria no Lolla, festival comandado por produtores concorrentes. Mesmo que não seja ele o promotor em algum dos países, já é certo que o DM vem para shows solo por aqui. Ícone do gênero Formado no início dos anos 1980, o Depeche Mode se transformou em referência na mistura de rock, pop e música eletrônica. Gravou discos cultuados, como “Music For the Masses” (de 1987) e “Violator” (1990). Nos quase 40 anos de carreira, transformou em clássicos da música pop canções como “Strangelove”, “Just Can’t Enough” e “Enjoy the Silence”. A formação atual tem três integrantes originais: o vocalista David Gahan; o tecladista e guitarrista Martin Gore; e o tecladista e baixista Andrew Fletcher. Na visita anterior, em 1994, o grupo veio com a Devotional Tour, que promovia o álbum “Songs of Faith and Devotion”, lançado no ano anterior. Em São Paulo, foram dois shows no extinto Olympia. Fonte: http://www.destakjornal.com.br

cirque du soleil

Cirque du Soleil | Trupe franco-canadense retorna ao país no 4º trimestre com “Amaluna”, ode à mulher, inspirado em obra de William Shakespeare.

O Brasil voltou a entrar na rota do Cirque du Soleil, a maior e mais luxuosa companhia de circo do mundo. A arrebatador trupe internacional com sede em Montreal (Canadá) vai retornar ao país em 2017, com a turnê do espetáculo Amaluna. O tour desembarca na América do Sul em setembro pelo Uruguai. E deve chegar ao Brasil até o último trimestre. A companhia vai divulgar em breve as cidades e as datas do espetáculo no país. A última passagem do circo mais famoso do mundo pelo Brasil ocorreu em 2013, com a turnê Corteo, que teve apresentações em seis capitais. Antes disso, a trupe fez temporadas no país em 2006 (Saltimbanco), 2007 (Alegria), 2009 (Quidam) e 2011 (Varekai). O Brasil é considerado o terceiro maior mercado internacional do Cirque du Soleil, segundo dimensionou o diretor internacional de Vendas e Turismo do Cirque Du Soleil, Matthew Boone. Segundo Boone, o Brasil só fica atrás da Coreia e do Japão em audiência para o grupo. AMALUNA Em cartaz desde 2012, Amulana é definido como um romance acrobático, com um elenco de 50 artistas e mais de 130 figurinos. Considerado um tributo às mulheres, o espetáculo foi o primeiro da companhia com trupe predominantemente feminina – elas são 70% dos artistas e músicos. Atualmente, a montagem está em tour pela Europa. Fundado em 1984, o Cirque du Soleil é o maior grupo teatral do mundo, com cerca de 4 mil empregados, incluindo 1.300 artistas oriundos de 50 países. As montagens da companhia já passaram por cerca de 300 cidades de 40 países, somando mais de 100 milhões de espectadores. Desde 2015, a companhia é controlada por um consórcio formado pela empresa americana TPG e o grupo chinês Fosun, que compraram a quase totalidade do negócio por cerca de US$ 1,5 bilhão. Fonte: http://www.forbes.com.br/